Monografia:
 
"Human Dynamics - a descoberta do potencial individual como ferramenta para construção de seres humanos."

20/10/12

Home Acima  

Universidade Cândido Mendes

Diretoria de Projetos Especiais

Rio de Janeiro - Brasil

 

 

 

Curso de pós-graduação lato sensu em

Gestão de Tecnologia da Informação – MBA GTI

 

 

 

HUMAN DYNAMICS -

 

A descoberta do potencial

 

individual como ferramenta para

 

construção de seres humanos”

 

 

 

 

 

 

 

 

Paulo

Outubro/2000

 

 

 

APRESENTAÇÃO:

 

 

            No 19º. andar, na varanda do apartamento com o olhar no horizonte e nas luzes da cidade, estamos a meditar sobre a escolha do tema para a monografia do curso que acabamos de fazer.

 

Perguntas como: “o que devemos contribuir?”, “o que podemos compartilhar?”,“o que vamos satisfazer?”, “como sermos objetivos e simultaneamente atraentes?”, “o que será que as pessoas estão necessitando?”...

 

Como essas perguntas na mente, percebemos como “pano de fundo” que todas estão focadas no auto-aperfeiçoamento, diante disso surge uma crença... algo que possa ajudar as pessoas a se conhecerem, a compreenderem as outras pessoas, a possibilitar um bom convívio no trabalho e melhores resultados nas atividades em equipe.

 

“Human Dynamics - a descoberta do potencial individual como ferramenta para construção de seres humanos” materializa-se neste trabalho.

 

Seja bem-vindo(a)!

 

 

 

 

Paulo

 

 

 

AGRADECIMENTOS:

 

 

            Agradecemos a DEUS pela graça alcançada, aos nossos familiares pela grande compreensão de nossas ausências e incentivo, a nossa empresa, aos coordenadores e instrutores da pós-graduação por ter-nos proporcionado a oportunidade de participar de um curso que apresentou uma visão de vanguarda e de conhecimento técnico-gerencial tão necessários a nossa vida profissional, aos colegas que conosco souberam compartilhar e aprender, e a todos nossos irmãos na fé aqui na Terra, que junto comigo acreditam na grande compaixão e na grande verdade que nos une para sempre.

 

 

 

 

Paulo

 

SUMÁRIO:

PREFÁCIO

 

Objetivo.................................................................................................

1

Justificativa...........................................................................................

1

Hipóteses e possíveis questões metodológicas....................................

2

Instrumentos de coleta.........................................................................

4

Caracterização do universo e da estrutura........................................

5

CAPÍTULO 1 -

 

O QUE É HUMAN DYNAMICS?.......................................................

6

CAPÍTULO 2 -

 

OS TRÊS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS.......................................

8

Os princípios mental, emocional e físico..............................................

10

Centralização mental, emocional e física............................................

14

CAPÍTULO 3 -

 

AS NOVE DINÂMICAS DE PERSONALIDADE..............................

17

Cinco dinâmicas de personalidade predominantes..............................

17

Sistemas distintos de auto-organização................................................

19

Continuidade de dinâmica de personalidade.......................................

20

Influências ambientais..........................................................................

20

CAPÍTULO 4 -

 

AS CINCO DINÂMICAS DE PERSONALIDADE............................

22

CONCLUSÃO

27

APÊNDICE I – Planos de estudos mais amplos da Human Dynamics

28

APÊNDICE II – Países/culturas representados no Programa de Pesquisa de Human Dynamics

30

BIBLIOGRAFIA

31

GLOSSÁRIO

33

 

--------------------------------------------------------------- página 1 ------------------------------------------------------------- 
 

 

 

 

PREFÁCIO:

 

Human Dynamics - a descoberta do potencial individual como ferramenta

para construção de seres humanos.

 

 

 

 

 

 

 

 


Objetivo:

 

Esta monografia objetiva apresentar a Human Dynamics ( HD ) (1) como uma ferramenta para compreender pessoas, bem como demonstrar alguns de seus conceitos.

 

As principais dúvidas levantadas são: como a HD pode auxiliar no processo de auto-conhecimento? quais as vantagens de se conhecer os princípios universais? O que é dinâmica de personalidade?

 

Justificativa:

 

A escolha do tema e a execução do presente trabalho estão associadas a duas razões:

 

1)                 atender ao conteúdo programático do curso de pós-graduação latu sensu em ‘Gestão de Tecnologia da Informação’, ministrado através do Instituto Data Brasil, subordinado à Diretoria de Projetos Especiais da Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro.

(1)- Optou-se pela não tradução da expressão ‘Human Dynamics (HD)’ , pois é assim que a HD é conhecida mundialmente; o uso dessa expressão é recomendado pela Human Dynamics International, entidade responsável pelo amplo trabalho de pesquisa, de divulgação e de aplicação nas organizações; bem como a detentora dos direitos autorais; a tradução para o idioma português é: dinâmicas humanas.


 --------------------------------------------------------------- página 2 -------------------------------------------------------------
 

 

 

 

2)                 e a HD ser um corpo de trabalho baseado em investigações coletadas desde 1979, envolver mais de 40.000 pessoas em 56 nações, representar cerca de 25 culturas distintas no “mundo ocidental” (2), ser aplicada nas organizações humanas de qualquer natureza e poder ser cientificamente validada nos seres humanos.

 

Hipóteses e possíveis questões metodológicas:

 

Com vistas a elucidar o marco teórico que se baseia a presente monografia, foram levantadas hipóteses e possíveis questões metodológicas. Foram formuladas com o intuito de serem guias de referência e auxiliares às indagações e propósito efetuados no objetivo.

 

O marco teórico está relacionado:

·        aos estudos de programação neurolingüística (3);

·        aos preceitos apresentados pelos estudiosos das organizações que aprendem (4);

·        aos postulados dos fundamentos gerenciais(5);

 

 


(2) - No trabalho de pesquisa realizado pela HD considera-se essencialmente como “mundo ocidental” todas as regiões do planeta, exceto o Extremo Oriente.

 

(3) - De acordo com Beraldo (1998), programação neurolingüística (PNL) é uma ciência desenvolvida por John Grinder, lingüista, e por Richard Bandler, matemático, perito em computadores e em terapia de gestaltismo. A PNL surgiu como resultado de seus esforços para compreender a excelência no comportamento humano. A PNL visa contribuir para o desempenho das equipes eficazes através do aprimoramento da comunicação interna e externa.

 

(4) - De acordo com Seagal e Horne (1998) a dinâmica humana fornece um fundamento de compreensão do desenvolvimento humano que favorece a implementação das cinco disciplinas identificadas por Peter Senge (1998) como cruciais para a criação de comunidades que aprendem.

 

(5) - Os conceitos de administração apresentados no Módulo de Treinamento em Fundamentos Gerenciais (1995), ministrado ao corpo gerencial de nossa empresa, oferece um histórico da teoria geral da administração.


 --------------------------------------------------------------- página 3 -------------------------------------------------------------
 

 

 

 

            O marco teórico encontra-se também relacionado:

·        ao trabalho em equipes (6);

·        a comunicação no ambiente de trabalho (7);

·        a liderança nas organizações (8).

 

Explorando um pouco mais as hipóteses e questões metodológicas temos também a associação dos conceitos da Human Dynamics relativos ao processamento de informações; ao aprendizado; a comunicação; a conservação do bem-estar; a reação ao stress; com o conceito de rapport (9).

 


(6) - De acordo com Quick (1995), atualmente, o conceito de equipe - grupo de pessoas que juntas participam ou se aplicam a uma tarefa ou trabalho, encontra-se enfatizado na maioria das organizações. Porém, apesar da grande evidência desse conceito, provavelmente a maior parte das pessoas não teve efetivamente uma experiência em equipe.

 

(7) - De acordo com Beraldo (1998), não pode haver colaboração ou apoio sem comunicação entre as pessoas de um grupo. Assim, um dos requisitos mais importantes para a formação de equipes produtivas é o desenvolvimento de habilidades de comunicação.

 

(8) - De acordo com Montana e Charnov (1998), liderança é o processo pelo qual um indivíduo influencia outros a realizar os objetivos desejados. Dentro da organização de uma empresa, o processo de liderança tem a forma de um gerente que influencia os subordinados a realizarem os objetivos definidos pela alta gerência. Existem dois tipos diferentes de liderança em qualquer organização - aqueles que são definidos, ou líderes formais, e aqueles que agem como líderes de maneira informal. Embora diferentes, ambos os tipos exercem comportamentos de liderança para influenciar os outros.

 

(9) – De acordo com Beraldo (1998), chama-se rapport ao esforço de sintonia na comunicação. Entrar em rapport é ver o mundo através do portal do interlocutor. Isto resulta em um relacionamento caracterizado por alinhamento e semelhança. Dois níveis mentais estão presentes na comunicação: o consciente e o inconsciente. Ao interagir com as pessoas podemos tanto focalizar o quanto o interlocutor é diferente de nós ou quantos pontos temos em comum com ele. O rapport é conseguido quando há um esforço para focalizar conscientemente as semelhanças. Em rapport podemos identificar como o outro está funcionando, acompanhar esse funcionamento e conduzir a comunicação para resultados produtivos. O alinhamento e semelhança que são buscados através do rapport não implicam necessariamente em concordar com os pontos de vista e opiniões do interlocutor, e sim respeitar o seu mapa e construir as pontes que possibilitem a verdadeira comunicação.

 

 --------------------------------------------------------------- página 4 -------------------------------------------------------------
 

 

 

 

No campo teórico a união dos conceitos de Human Dynamics com o rapport acarretaria numa ferramenta facilitadora na gestão de serviços de terceiros (10) e num poderoso fator diferencial nos processos de negociação (11).

 

Instrumentos de coleta:

 

            O plano de elaboração desta monografia baseou-se em instrumentos de coleta, a seguir enumerados:

 

1)                 Módulo de curso do MBA/GTI ministrado pelo professor José Paulo Moreira de Oliveira: ‘Elaboração de Pareceres e Relatórios Técnicos’;

 

2)                 Indicação oficial pela nossa empresa, para participação no  Primeiro Seminário de Human Dynamics (1997), ministrado no Brasil, pelos autores: Sandra Seagal e David Horne, com organização da SIEG(12);

 

3)                 Leitura do livro: Human Dynamics: um novo contexto para compreender pessoas e realizar o potencial de nossas organizações’ (1998);

 

4)                 Coleta de dados particulares tais como leituras integrais e parciais dos livros e textos constantes na bibliografia;

 


(10) – O advento da tecnologia da informação associado a internacionalização do capital acarretaram na transformação nas relações de trabalho e nas especializações técnicas cada vez mais pontuais em todos os ramos de atividades das organizações, com isto o administrador encontra-se cada vez mais envolvido na gestão de serviços de terceiros. Se o administrador dominar algumas técnicas de gerenciamento para o tratamento específico desse contingente terceirizado, obterá sucesso e maximizará o objeto contratado.

 

(11) – De acordo com Fisher, Ury e Patton (1994) todos entramos numa negociação buscando uma resposta positiva, o ‘sim’ e acompanhada dessa necessidade e desejo de vitória sempre esperamos não ter que ceder quaisquer concessões.

 

(12) - SIEG – Sociedade Internacional para a Excelência Gerencial; v. maiores detalhes no apêndice I.


 --------------------------------------------------------------- página 5 -------------------------------------------------------------
 

 

 

 

5)                 Indicação oficial pela nossa empresa, para participação no treinamento ‘Gestão de Serviços de Terceiros` (1999), ministrado pelo Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP, coordenado pelo Prof. Dr. Roberto Rotondaro.

 

6)                 Consultas realizadas nas páginas da Internet: www.humandynamics.com e www.newhorizons.org/trm_seagal.html

 

Caracterização do universo:

 

            A caracterização do universo do presente trabalho está delimitada nos seguintes pontos:

·        apresentar o que é a HD;

·        despertar a motivação no auto-conhecimento e na compreensão das pessoas;

·        responder as questões formuladas.

           

 

--------------------------------------------------------------- página 6 -------------------------------------------------------------
 

 

 

 

CAPÍTULO 1: O QUE É HUMAN DYNAMICS?

           

A descrição oficial: Human Dynamics é um corpo de trabalho baseado em investigações coletadas desde 1979, envolvendo mais de 40.000 pessoas, representando mais de 25 culturas nacionais.A HD efetua a identificação e documentação inerentes as distinções no funcionamento das pessoas enquanto sistemas. Estas distinções no funcionamento humano são mais importantes que idade, raça, cultura ou sexo. A HD pode ser identificada ainda na infância e sua existência nos seres humanos pode ser cientificamente comprovada.

 

Nove sistemas humanos distintos foram identificados; cinco dos quais predominam grandemente nas culturas ocidentais. Cada sistema é composto de princípios fundamentais ou universais – mental, emocional e físico. Todos possuem dimensões quantitativa (pessoal) e qualitativa (interpessoal).

 

Os programas da HD baseiam-se nestes novos conhecimentos e estão sendo aplicados nas áreas de negócios, educação, família – relações pais e filhos, serviços de saúde e construção de “pontes” interculturais para um mundo globalizado.

 

A HD apresenta um poderosa metodologia para o entendimento dos distintos modos que os seres humanos processam informação, aprendem, se desenvolvem, se comunicam, se relacionam com outros seres humanos, manifestam stress, e mantêm-se em bem-estar. Ao aprender a reconhecer suas semelhanças e apreciar as diferenças, os seres humanos podem utilizar esses novos conhecimentos para:

·        aprofundar o aprendizado;

·        enriquecer a comunicação;

·        incrementar a criatividade;

·        atuar na formação e em equipes de trabalho;

·        colaborar com a performance organizacional.

 

 

Com esta nova consciência, foi descoberto o grande potencial que nós humanos podemos usufruir em nossos relacionamentos pessoais, interpessoais e nas organizações. O conhecimento fundamental e prática ferramental da Human Dynamics estão localizados na perícia pessoal e interpessoal de cada um – enquanto a HD ajuda-nos a desenvolver nossos talentos, novas habilidades e auto-conhecimento.

 

A Human Dynamics não é uma tipologia. Ela identifica as estruturas fundamentais que permitem ver as diferenças no funcionamento das pessoas como sistemas inteiros; além disso, descreve os processos e funções desses sistemas. Esses diferentes sistemas humanos são auto-organizantes e capazes de evoluir infinitamente.

 

As pessoas identificam seu sistema (“sua dinâmica de personalidade”) através de um processo de auto-descoberta. Não existe um teste onde deverá preencher cruzinhas e ganhar pontos. Os indivíduos são treinados para identificar a dinâmica de personalidade alheia através de uma conscientização mais elevada e de maior sensibilidade no ouvir e observar. O grande diferencial da HD é a liberdade para esta busca.

 

A Human Dynamics tem sido aplicada nas organizações em diversas áreas e funcionalidades:

·        funcionamento de equipes;

·        ensino-aprendizagem;

·        valorização e aproveitamento da diversidade;

·        gerenciamento de mudanças;

·        desenvolvimento de comunidades conscientes;

·        desenvolvimento pessoal e de liderança;

·        manutenção da saúde;

·        construção de “pontes” interculturais.

 

 

 

--------------------------------------------------------------- página 8 -------------------------------------------------------------
 

 

 

 

CAPÍTULO 2 - OS TRÊS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


figura 1 – os três princípios universais

           

            As investigações, que os autores executaram, principalmente no Departamento de Artes e Ciências em Comunicação da University of Southern California, levaram a compreensão de que as três freqüências detectadas na voz humana se relacionam a três aspectos básicos do funcionamento humano – mental, emocional e físico. “Todas as pessoas têm capacidades mentais, emocionais e físicas; são linhas básicas tão fundamentais e universais do sistema humano que foram denominadas de princípios.” (...) Estejam bem ou mal expressos, vemos os princípios mental, emocional e físico ativos em todos os seres humanos.

           

            Através dos estudos de HD foi descoberto que estes três princípios se interagem de maneira muito específica nas pessoas, formando diferentes modos de funcionamento, distintas “maneiras de ser”, a que foram chamadas de “dinâmicas de personalidade”.


 

 

Foram identificadas nove dinâmicas de personalidade no total, porém cinco delas parecem representar 99,9% da população. A HD se dedica ao estudo dessas cinco dinâmicas de personalidade predominantes.

           

            Cabe salientar o que Peter Senge (1998) afirma no prefácio do livro “Human Dynamics” (...) “que identificar as diferentes dinâmicas de personalidade não significa colocar as pessoas dentro de uma caixa.”(...).

 

Nos seminários de HD é oferecida aos participantes a liberdade de expressão, de modo que são livres na descoberta de suas dinâmicas, a proposta principal de trabalho baseia-se no auto-conhecimento. Os participantes sentem-se, pela primeira vez, globalmente “vistos”, compreendidos e apreciados, como realmente são e funcionam. Evita-se a todo custo a categorização, a questão do self é vital para o despertar desse conhecimento.

 

            Cada “maneira de ser” é reconhecida como um sistema dinâmico com uma capacidade infinita de desenvolvimento. A HD ilustra nossos diferentes modos / formas de funcionamento, proporciona o uso mais eficiente e lúcido de nossas capacidades.

 

            Ao reconhecer e compreender as diferenças fundamentais na constituição das pessoas, estamos aptos a perceber como agem em seu meio ambiente em relação a:

·        processarem informação;

·        se comunicarem;

·        aprenderem;

·        solucionarem problemas;

·        se relacionarem com si próprias e com as outras pessoas;

·        manterem seu bem-estar;

·        se desenvolverem pessoal e interpessoalmente.


 --------------------------------------------------------------- página 10 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

Os princípios mental, emocional e físico:

 

            O entendimento dos três princípios universais integrantes em todas as dinâmicas de personalidade faz-se necessário para investigarmos as cinco dinâmicas predominantes.

O Princípio Mental

Caixa de texto: Ênfases: conceitos, estruturas e idéias
Processo: linear, lógico, seqüencial
Funções:
·        pensar
·        ter visão
·        planejar
·        focalizar
·        direcionar
·        criar estrutura
·        enxergar globalmente
·        estabelecer valores e princípios
·        manter a objetividade
·        conceitualizar
·        analisar

 

 

                                                                                   

           

 

 

 

 

 

 

 

 

figura 2 – princípio mental

 

            O princípio mental está associado às atividades da mente. É expresso pelas capacidades pessoais de pensamento lógico, objetividade, visão do todo, planejamento estratégico, estabelecimento de valores e princípios, manutenção do foco e criação de estrutura. Fornece o primeiro passo para qualquer realização significativa.

           

            As pessoas com um princípio mental bem desenvolvido direcionam suas ações com imparcialidade, perspectiva, clareza de visão, valores e princípios bem definidos, enquanto se concentram no longo prazo.


 

O Princípio Emocional

Caixa de texto: Ênfases: relacionamento e organização
Processo: lateral (por associação emocional em vez de conexão lógica)
Funções:
·        sentir
·        conectar
·        comunicar
·        relacionar
·        personalizar
·        sentir empatia
·        organizar
·        harmonizar
·        processar
·        imaginar

 

 


                                                                                   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

            figura 3 – princípio emocional

 

            O princípio emocional é o princípio do relacionamento e da conexão. É aquela parte de nós que conhece e valoriza o mundo dos sentimentos, em si próprio e nos outros. É também a parte que necessita e oferece comunicação e que sabe como colaborar e organizar. A imaginação criativa, que acessa a vida interior e conecta as coisas de novas maneiras, é também uma expressão do princípio emocional.

 

            Uma pessoa com o princípio emocional bem desenvolvido é consciente de seus próprios sentimentos sem ser dominadas por eles; expressa esses sentimentos adequadamente; é comunicativa e empática e constrói relacionamentos positivos com outras pessoas.

 

É também autoconsciente, bem organizada, flexível, criativa e capaz de encontrar o meio termo entre desfrutar da diversidade da vida e manter o foco.


O Princípio Físico

Caixa de texto: Ênfases: ações, operações
Processo: sistêmico (processo abran-gente que coleta, associa e enxerga as interconexões de dados relevantes)
Funções:
·        fazer / executar / operacionalizar
·        produzir
·        concretizar
·        detalhar
·        utilizar
·        assegurar a praticidade
·        cooperar
·        sintetizar
·        sistematizar

 

 


                                                                                   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

            figura 4 – princípio físico

 

            Enquanto o princípio mental está associado com a mente e o pensamento, e o princípio emocional está associado com sentimentos e relações, o princípio físico está associado com o corpo e com a tradução do que pensamos e sentimos em ações. Este princípio é a parte pragmática das pessoas, expressa através do fazer, realizar, materializar.

           

            As pessoas com o princípio físico bem expresso têm uma forte afinidade com vida em grupo e cooperação. São confiáveis e produtivas e executam suas tarefas com competência ou delegam-nas com responsabilidade. Em qualquer projeto, elas asseguram que as idéias sejam materializadas em ações eficazes, criando sistemas para a realização dos objetivos originais.

 

São, também, muito bem sintonizadas com seus instintos e com o mundo sensorial, mas não são dominadas por eles. Por possuírem um senso inato de natureza sistêmica das coisas, e por experimentarem de tudo (inclusive elas mesmas) é, ao mesmo tempo, um todo e parte de um todo maior, elas, normalmente, se sentem responsáveis pelo bem-estar de qualquer sistema no qual se vejam envolvidas.


 

 

            Cada um destes três princípios e seus atributos estão ativos em todas as pessoas, porém, em diferentes graus e combinações. Os principais atributos destas três dimensões de personalidade podem ser resumidos, como segue:

 

Caixa de texto: MENTAL:                                         Raciocínio
                                                                        Objetividade
                                                                        Antevisão
                                                                        Visão Global
                                                                        Estrutura
                                                                        Valores
EMOCIONAL:                             Sentimento
                                                                        Subjetividade
                                                                        Relacionamento
                                                                        Comunicação
                                                                        Organização
                                                                        Imaginação Criativa
FÍSICO:                                               Realização
                                                                        Execução
                                                                        Concretização
                                                                        Experiência Sensorial
                                                                        Praticidade
                                                                        Experiência Sistêmica
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


figura 5 – atributos resumidos dos três princípios universais

 

            Estando os três princípios em coexistência dinâmica em todos nós, podemos trabalhar, conscientemente, para promover o desenvolvimento e integração deles, promovendo assim nossa própria saúde, bem-estar e eficácia.

 

            Em geral, quando os princípios mental, emocional e físico são desenvolvidos e integrados, os indivíduos funcionam bem, sendo capazes de pensar com clareza, relacionar-se com empatia e expressar seus pensamentos e seus sentimentos em termos de ações práticas.

 


 

 

            Entretanto, quando um, ou mais, dos princípios não é desenvolvido ou integrado, o resultado é um desequilíbrio funcional, uma falta de inteireza e uma relativa ineficácia em certas áreas da vida do indivíduo.

 

            Esse desequilíbrio, de forma alguma, é raro. Todos nós, provavelmente, tendemos a “favorecer” um ou dois dos princípios, em detrimento do(s) outro(s). E, para todos nós, o crescimento pessoal ou interpessoal requer um trabalho consciente de desenvolvimento e integração do “terceiro” princípio. O terceiro princípio é justamente aquele que por nós ou em nós é pouco desenvolvido.

 

            Entretanto, é gratificante saber que, estando os três princípios em coexistência dinâmica em todos nós, podemos trabalhar, conscientemente, para promover o desenvolvimento e integração deles, promovendo assim nossa própria saúde, bem-estar e eficácia.

 

            Os princípios mental, emocional e físico não apenas se equivalem em valor e são igualmente necessários para o bem-estar dos indivíduos, como também, necessitam estar igualmente ativos e integrados nas organizações, equipes, famílias e comunidades.

 --------------------------------------------------------------- página 14 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

Centralização mental, emocional e física

 

            Descobrimos que, embora todos nós tenhamos as dimensões mental, emocional e física, parecemos ser “organizados” de tal forma que um desses três princípios predomina como central em nosso funcionamento. Algumas pessoas são “centradas” mentalmente (na razão), outras emocionalmente (nas relações) e outras fisicamente (na prática).

 


 

 

            A centralização se dá com a ênfase de um dos princípios em detrimento dos demais, com a centralização o funcionamento do indivíduo indicará a dinâmica de personalidade a qual pertence.

 


               M

 

                                                  E

              F

Caixa de texto:  E

 

Emocionalmente centradas            M

                               E                   E

 

                F

 

 

 


            M

                                                  E

            F

 

                                                            figura 6 - centralização

 

            A medida que o estudioso de HD explora as diferentes dinâmicas de personalidade (que constituem variações dessas três vertentes), descobrirá a significância dessa centragem. O princípio  que se encontra no núcleo determina como nós tipicamente processamos as informações que nos chegam. Geralmente pessoas mentalmente centradas processam as informações de forma linear e racional. Pessoas emocionalmente centradas processam as informações de forma lateral e as pessoas fisicamente centradas processam as informações de forma sistêmica.

 

 


 

 

            O indivíduo é mentalmente centrado, o outro emocionalmente centrado e um terceiro, fisicamente centrado, apesar de serem três processos distintos de funcionamento de um indíviduo, não devemos criar nenhuma escala ou distinção de valor.

 


--------------------------------------------------------------- página 17 ------------------------------------------------------------
 

 

 

 

 

CAPÍTULO 3 – AS NOVE DINÂMICAS DE PERSONALIDADE

 

            Cada dinâmica de personalidade é um sistema internamente coerente, a descoberta das noves dinâmicas de personalidade deu-se com a combinação dos três princípios universais. A associação a ser efetuada com os mentalmente centrados denominamos a primeira dinâmica de personalidade como “mental-mental”; a segunda, “mental-emocional”, a terceira “mental-física”.

 

            A associação com os emocionalmente centrados teremos: “emocional-mental”, “emocional-emocional” e “emocional-físico”. E, por último com os fisicamente centrados teremos: “físico-mental”, “físico-emocional” e “físico-física”. Como já foi dito, o primeiro princípio (central) determina, em grande parte, como uma pessoa processa a informação, e o princípio secundário dita que tipo de informação uma pessoa tende a processar.

 

Cinco dinâmicas de personalidade predominantes

 

            Nas pesquisas realizadas no transcorrer de vários anos, constatou-se que das nove dinâmicas de personalidade existentes, cinco delas constituem a vasta maioria da população mundial.

 

            A seguir apresentamos tabela contendo as principais dinâmicas de personalidade encontradas.

 


 

 

Tabela 1 - Percentual das cinco dinâmicas predominantes no total de pesquisas:

 

Dinâmica de Personalidade

Percentual

Mental-físico

5 %

Emocional-mental (emocional-objetivo)

25 %

Emocional-físico (emocional-subjetivo)

55 %

Físico-emocional

5 %

Físico-mental

10 %

 

 

            Analisando a tabela 1, identificamos que 5 % da população nas culturas ocidentais sejam mental-físicas; 15 % sejam fisicamente centradas e os 80 % restantes da população sejam emocionalmente centrados.

 

            Portanto, segundo a experiência dos autores, a maioria das populações ocidentais são emocionalmente centradas, enquanto que no Extremo Oriente, os indivíduos parecem ser em sua maioria fisicamente centrados. Tais diferenças sugerem que algumas diferenças fundamentais entre o Oriente e o Ocidente podem se dever mais a diferenças de dinâmica de personalidade do que a diferenças em cultura.

 

            Para os emocionalmente centrados adota-se uma terminologia alternativa, conforme descrição na tabela 1. Devido ao vínculo do sistema emocional central com a mente objetiva nas pessoas emocional-mentais, referencia-se esse grupo como emocional-objetivo; devido à sensibilidade do grupo emocional-físico à vida pessoal interior, referencia-se esse grupo como emocional-subjetivo.

 

--------------------------------------------------------------- página 19 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

Sistemas distintos de auto-organização

 

            Uma das contribuições mais importantes e destacadas da Human Dynamics é a percepção de que cada dinâmica de personalidade constitui um sistema de auto-organização distinto. Isto quer dizer que cada dinâmica de personalidade não é uma coleção de traços adquiridos aleatoriamente e independentemente uns dos outros, mas sim todo um sistema de funcionamento que expressa , seu estilo básico particular de se “organizar” mental, emocional ou fisicamente.

 

            Portanto, conhecer a dinâmica de personalidade de uma pessoa é saber muito sobre os processos e os caminhos de crescimento fundamentais daquela pessoa. Segundo os autores, a Human Dynamics será sempre um “trabalho em evolução”, explorando continuamente novas áreas de funcionamento de cada um desses sistemas humanos.

Caixa de texto: SISTEMAS DE AUTO-ORGANIZAÇÃO
·       Manutenção da saúde
·        Função de liderança
·        Processo de solução de problemas
·        Processo de desenvolvimento
·        Função em equipes
·        Processo de comunicação
·        Processo de aprendizagem
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 


                                    figura 7 - Sistemas distintos de auto-organização

            A figura 7 demonstra alguns exemplos de auto-organização para cada dinâmica de personalidade.

 

            Baseados na singularidade, devemos enfatizar que todo mundo, dentro de cada dinâmica de personalidade, é único. Existem tantas variações desses estilos de funcionamento quanto existem pessoas no mundo. O mais importante a ser lembrado é que todo mundo está num processo de desenvolvimento, ao longo de um continuum, característico de sua dinâmica de personalidade.


--------------------------------------------------------------- página 20 ------------------------------------------------------------
 

 

 

 

Continuidade de dinâmica de personalidade

 

            A distribuição quantitativa das energias mentais, emocionais e físicas de uma pessoa, quando se altera através do tempo, se altera pouco, embora os princípios possam se tornar mais plenamente realizados e integrados.

 

            Nas pesquisas realizadas pelos autores, por exemplo crianças mental-físicas filmadas com menos de 01 ano de idade em 1983, continuaram ao longo do tempo e do transcorrer da pesquisa com as mesmas características iniciais. Portanto, desde a infância é possível identificar a dinâmica de personalidade do indivíduo. Um bebê mental-físico se desenvolve em um pré-adolescente mental-físico e se tornará em um mental-físico também na terceira idade.

 

            A mudança que se dá com a idade é um desdobramento evolutivo da dinâmica de personalidade em particular. O indivíduo pode ter mudado qualitativamente e ter se tornado mais hábil, mas o processo mental-físico básico terá permanecido o mesmo.

 

 

Influências ambientais

 

            Apesar de exercer influência sobre o comportamento ou sobre o desenvolvimento da criança (ou adulto), as circunstâncias ambientais, não determinam a dinâmica da personalidade, mas agem sobre ela, para melhor ou para pior.

 

 

 

 

 

 

 


                                                Figura 8 - Influências ambientais           

 

            Embora haja influência ambiental, a dinâmica da personalidade é geneticamente determinada ( os autores sugerem que se façam estudos mais precisos, inclusive investigação científica). Da mesma forma, as influências ambientais - experiências de vida, exigências profissionais, cultural empresarial, etc - podem, até certo grau, modificar o comportamento de um adulto, mas ele não mudará seus processos fundamentais.

 

--------------------------------------------------------------- página 22 ------------------------------------------------------------
 

 

 

CAPÍTULO 4 – AS CINCO DINÂMICAS DE PERSONALIDADE

 

 

Mental-físico            Este capítulo visa discorrer de forma sucinta as cinco dinâmicas de personalidade predominantes.

 

 

 

 

            Afinado com o mundo dos pensamentos, visão de futuro, conceitos e visão global. Facilidade em manter o foco e inspira esse dom em outras pessoas. Traz estrutura, objetividade e precisão aos projetos e interações. Personalidade centrada na mente, temperamento estável. Não é dado a demonstrações emocionais ou impulsivas.

 

            Palavras-chaves: perspectiva, objetividade, desprendimento, valores, visão, precisão e ordem.

Emocional-objetivo

 

 

 

 


            Solucionador de problemas com afinidade por gerar novas idéias e promover a inovação. Gosta da mudança e desafio, está sempre alerta para as oportunidades. Tem como uma de suas principais funções a de acender ‘fogueiras” de novos empreendimentos e dar início a “caminhada” em direção a territórios e áreas desconhecidos.

 

            Palavras-chaves:        movimento para frente, desafio, risco, experimentação, inovação, “a hora é agora!”.

 

 


 

Emocional-subjetivo 

 

 

 


            Experiências extremamente personalizadas. Tem respostas pessoais a tudo e sente deseja de conexão pessoal com tudo e com todos. Possui uma grande gama de sentimentos, é sensível aos sentimentos alheios e se interessa genuinamente por eles. Dá muita importância com o relacionamento com as outras pessoas. Procura manter a harmonia entre si e as outras pessoas, bem como entre todos ao seu redor, é sua preocupação constante.

 

            Palavras-chave: conexão, relacionamento, empatia pessoal, sensibilidade intuitiva, personalização, expressão subjetiva.

 

 

Físico-emocional

 

 

 

 

 


            Por natureza é dotado de pensamento sistêmico e interessado no trabalho concreto. Traduz pensamentos e idéias em resultados práticos que satisfaçam uma necessidade ou solucionem um problema. Destaca-se, especialmente, na implementação tática do trabalho. Os detalhes são importantes e executa tarefas repetitivas sempre que isto for necessário para concluir o trabalho.

 

            Palavras-chave: imersão no ambiente, pensamento sistêmico, tempo orgânico, praticidade, orientação grupal, continuidade, natureza.

 

 


 

Físico-mental

 

 

 

 

 


            É prático, detalhista, abrangente e preciso. É, por natureza, um planejador estratégico dotado de pensamento sistêmico. Tem estratégia para quase tudo que faz. Tem tendência de reunir e associar dados, até que sistemas ou configurações interconectadas se formem.

 

            No início de qualquer empreendimento, precisa compreender, com clareza o propósito e o contexto essencial. A compreensão geral que necessita constitui a base necessária para planejamentos futuros.

 

            Palavras-chave: pensamento sistêmico, praticidade, criadores de modelos, natureza, essencialidade, ordem, propósito.

 

            A seguir apresentamos as principais capacidades das dinâmicas de personalidade predominantes:

 

Capacidades Mental-físicas

·        determinar e manter visão de longo alcance para si próprio e para outras pessoas e grupos;

·        perceber e articular valores e princípios norteadores;

·        criar estruturas;

·        ouvir com atenção diversos pontos de vista e encontrar as bases comuns de concordância;

·        ser objetivo e imparcial e, ao mesmo tempo, manter relacionamentos qualitativos com as outras pessoas;

·        adotar e expressar o amor incondicional com o valor mais elevado;

·        ser professor tanto em relação à objetividade quanto à compaixão, servindo como exemplo.

 

 

 

Capacidades Emocional-objetivas

·        tocar as coisas para frente;

·        pressentir novos rumos e possibilidades emergentes nos acontecimentos, nos indivíduos e nos grupos;

·        desafiar a inércia, rompendo com antigos padrões;

·        participar cooperativamente, com outros, na construção de novas formas;

·        compreender profundamente que nada, de real valor, pode ser criado e sustentado sem esforço colaborativo;

·        ser professor tanto de inovação e quanto de vida grupal de qualidade, servindo como exemplo.

 

 

Capacidades Emocional-subjetivas

 

·        criar e manter conexões harmoniosas (relacionamentos) com os outros;

·        compreender, intuitivamente, as necessidades específicas dos outros;

·        sentir, pessoalmente, a alegria e a dor dos outros;

·        examinar sua própria história pessoal, e chegar ao perdão de si mesmo e de outros;

·        viver toda a gama de relacionamentos de empatia pessoal à isenção e ao desprendimento;

·        ser professor tanto de empatia quanto de isenção e desprendimento, servindo como exemplo.

 


 

 

 

Capacidades Físico-emocionais

 

·        ter a experiência vivida de que tudo é ao mesmo tempo parte de um todo e também, em si, um todo;

·        respeitar, compreender e utilizar as leis da natureza;

·        estar totalmente imerso no detalhado mundo da matéria;

·        ter raciocínio e implementação sistêmicos;

·        desprendimento do mundo material e ganho de perspectiva relativa aos dados coletados; esta perspectiva resulta na criação de uma visão realizável;

·        ser professor tanto de raciocínio (ou planejamento) quanto de formulação de visão, servindo como exemplo.

 

Capacidades Físico-mentais

 

·        perceber jeitos de ser que se repetem - “padrões” - na complexa interação entre os acontecimentos;

·        criar e implementar modelos estratégicos e sistêmicos;

·        opção pela ordem, eficiência e pela simplicidade de formas;

·        associar dados objetivos das coisas com dados subjetivos das pessoas.

·        Valorizar o amor como a maior lei no universo;

·        ser professor de pensamento estratégico, sistêmico e de compaixão, servindo como exemplo.

 

            O que acabamos de discorrer foi apenas uma pequena visão das dinâmicas da personalidade predominantes, o auto-conhecimento, o estudo constante e a discussão em grupo sobre esses conceitos torna-se vital para a consolidação dos conhecimentos apresentados neste trabalho.

            Percebemos também que cada uma das dinâmicas de personalidade tem algo a nos ensinar.

 --------------------------------------------------------------- página 27 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

Expectativa de atendimento ao objetivo:

 

            O principal fator de motivação que propiciou a execução do presente trabalho está relacionado à vontade de compartilhar e de promover a divulgação dos conhecimentos de Human Dynamics, que um dia tivemos o prazer de conhecer, além de acreditar que a HD possa nos ajudar a descobrir nosso potencial individual e nossa capacidade de alterar conscientemente nossas relações interpessoais, transformando-nos em seres humanos melhores.

 

            Para tanto, rogamos ter atingido todos os objetivos no final da leitura deste trabalho, aliado ao despertar do leitor de um novo interesse de auto-conhecimento e de compreensão das pessoas.

 

Esperamos que o leitor tenha tido prazer em lê-lo, assim como tivemos em escrevê-lo.

 --------------------------------------------------------------- página 28 -----------------------------------------------------------
 

 


APÊNDICE I –

 

Planos mais amplos de estudos da Human Dynamics:

 

Recomenda-se a leitura do livro editado no Brasil: Human Dynamics – um novo contexto para compreender pessoas e realizar o potencial de nossas organizações”, cujos dados estão descritos na bibliografia. 

 

No Brasil, a SIEG – Sociedade Internacional para a Excelência Gerencial (A busca da Excelência pelo Aprendizado coletivo) atua como entidade representante da Human Dynamics International; sendo unidade certificada e capaz de ministrar seminários, treinamentos de facilitadores e cursos oficiais, salientando-se os aspectos culturais e em língua portuguesa, além de atuar na consultoria e implantação do modelo em empresas clientes. Informações sobre seminários, cursos e programa poderão ser obtidas pelo telefone 55(11)7295-7027 ou pelos e-mails: sieg@sieg.com.br e sieg@mandic.com.br .

 

Existem diversos grupos de estudo espalhados pelo país, dentre eles o grupo de estudo do Instituto do Aprender,  que atua na UNICAMP, em Campinas (SP). Em nossa empresa, há um grupo permanente de estudo da HD, que se reúne sob coordenação de Marilda.

 

Nos E.U.A. a Human Dynamics International e a Human Dynamics Foundation, oferecem uma variedade de recursos para expandir, aumentar, sustentar e praticar os conhecimentos de Human Dynamics; podem ser contatadas na Internet na página www.humandynamics.com .

 

 


 

 

Existem os seguintes recursos disponíveis:

·        CD-ROOM: Human Dynamics: The Ultimate Voyage (compatível com IBM e Mac);

·        FITAS DE SOM e respectivas brochuras guia: Processos de Desenvolvimento Pessoal;

·        GUIA DE ESTUDO: Guia de Estudos Individuais e Coletivos (em grupos) de Human Dynamics;

·        VÍDEOS: para pais, professores e famílias; 

·        PROGRAMAS e REUNIÕES DE APRENDIZADO COLETIVO: organizados pela SIEG.

--------------------------------------------------------------- página 30 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

APÊNDICE 2 –

Países/culturas representados no Programa de Pesquisa de Human Dynamics

América do Norte:

            Estados Unidos***      (afro-americana**)       (indígenas americanos**)

            Canadá***                  (asiática/hispânica**)    México*

Europa/Europa Oriental:

            Inglaterra***                França**                      Dinamarca**

            Alemanha**                 Holanda**                   Grécia*

            Finlândia**                   Suécia***                    Espanha*

            Escócia*                      antiga Iugoslávia*         Portugal*

            Suíça**                        Romênia*                     Polônia*

            República Checa          Irlanda*                        Itália**

            Rússia*

Oriente Médio:

            Israel***                      Palestina**                   Turquia**

            Iraque**                      Irã**                            Armênia**

América do Sul:

            Brasil*                          Argentina*                    Peru*

            Chile*

Caribe:

            Haiti*                           Jamaica*                      Cuba**

Sul do Pacífico:

            Bali*                            Austrália**                   Nova Zelândia*

Ásia/Sudeste Asiático:

            Japão**                       China**                       Tailândia*

            Vietnã*                        Tibete*                        Índia**

            Paquistão**                 Afeganistão*                Laos**

            Camboja*                    Mongólia*                    Filipinas**

África:

            Egito*                          Zâmbia*                       Quênia*

            Moçambique*              Marrocos*                   Etiópia*

Legenda: (*)- exposição limitada; porém estudo profundo com apenas algumas pessoas; (**) –entrevistas e observações; (***) estudos extensos.


 --------------------------------------------------------------- página 31 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA:

 

 

1)                 BERALDO, Katharina Elisabeth Arnold (1998) – Aspectos Comportamentais no Gerenciamento de Serviços de Terceiros in ‘Gestão de Serviços de Terceiros’. São Paulo, Fundação Carlos Alberto Vanzolini & Departamento de Engenharia de Produção, POLI – Universidade de São Paulo (mimeo).

 

2)                 FISHER, Roger & URY, William & PATTON, Bruce (1994) – Como chegar ao sim: A negociação de acordos sem concessões. Rio de Janeiro, Imago.

 

3)                 LITTO, Frederico M. & SEVERINO, A.J. (1973) – O procedimento da pesquisa. São Paulo, ECA – Universidade de São Paulo (mimeo).

 

4)                 MONTANA, Patrick J. & CHARNOV, Bruce H. (1998) – Liderança: Teoria e Prática in Administração. São Paulo, Saraiva.

 

5)                 PERES, José Augusto de Souza (1979) – A elaboração do projeto de pesquisa.  João Pessoa, Editora Universitária/Universidade Federal da Paraíba.

 

6)                 QUICK, Thomas L. (1995) – Como desenvolver equipes bem-sucedidas.  Rio de Janeiro, Campus.

 

7)                 SEAGAL, Sandra & HORNE, David (1998) – Human Dynamics – um novo contexto para compreender pessoas e realizar o potencial de nossas organizações. Rio de Janeiro, Qualitymark Editora.

 

8)                 SENGE, Peter (1998) – A quinta disciplina: a arte e a prática das organizações que aprendem. São Paulo, Editora Best Seller.

 

9)                 – & SMITH, Bryan & ROBERTS, Charlotte & ROSS, Richard & KLEINER, Art (1998) – A quinta disciplina: caderno de campo. São Paulo, Editora Best Seller.

 

10)             WARDMAN, Kellie (organizadora) (1998) – Dinâmica humana: um alicerce para a organização que aprende in ‘Criando organizações que aprendem’. São Paulo, Editora Futura.


 --------------------------------------------------------------- página 33 -----------------------------------------------------------
 

 

 

 

GLOSSÁRIO:

fonte: G. E. Larousse Cultural (1985)

 

Gestalt  s.f. (Do alemão) Percepção absorvida como uma totalidade pelo indivíduo, mais do que como uma justaposição de partes.

 

Gestalt-terapia s.f. Termo usado para designar a psicoterapia feita segundo os fundamentos de gestalt, ou teoria da forma. ENCICL. A gestalt-terapia é uma terapêutica de grupo surgida nos anos 60, que tem por objetivo mobilizar os recursos do indivíduo para lhe permitir tornar-se uma pessoa total. A finalidade da gestalt-terapia é restabelecer as relações dinâmicas entre o comportamento e o desejo, a necessidade ou a falta, para provocar uma tomada de consciência sobre a defasagem e a desunião entre esses níveis e levar, enfim, a pessoa a fazer ela própria o diagnóstico de suas contradições e do modo como ela trata essas contradições, para assumir assim a responsabilidade por si mesma.

 

Pragmático adj. (...) 2. Fundamentado no estudo dos fatos; 3. Que toma o valor prático como critério da verdade.(...)

 

Pragmatismo s.m. (Do inglês pragmatism.) Doutrina que toma como critério de verdade o valor prático que tenha efeitos positivos e seja útil ao homem. (Charles S. Peirce e depois William James foram seus principais representantes. O primeiro formulou a doutrina num sentido puramente lógico e metodológico. James, por sua vez, estendeu-a também pelo campo da ética e é considerado seu representante mais completo).

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Nota: A presente monografia foi utilizada no curso de Pós-Graduação de "Gestão de Tecnologia da Informação" junto ao Instituto Data Brasil da Universidade Cândido Mendes (RJ) em 1999-2000.

 

 

Voltar para "Pessoais"

 

Home Agradecimentos A meu respeito Especiais Favoritos Galerias de fotografias Interesses Novidades  

Home Acima  

Nota: Página originalmente publicada em 2004. São Paulo, 14 de janeiro de 2004. A figura utilizada no plano de fundo da presente página é marca registrada da "Human Dynamics International". Organização: Geografia na Internet: www.geogeral.com/

Esta página foi atualizada em 20/10/12

Este sítio está no ar desde 15/05/01

© - 2001-2012 Geografia na Internet: http://www.geogeral.com/